quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Provocar ciúme aos judeus


Há uma diferença entre ciúme e inveja, mas por vezes usamos estas palavras como se elas significassem a mesma coisa. Uma é pecaminosa e a outra descreve Deus. Inveja é cobiçar, querer algo que não se tem. Nesta geração de facebook as pessoas espiam invejosamente as páginas dos outros enquanto outros exibem imagens esculturais para provocar ciúme, vangloriando-se da boa vida que dizem ter. Em vez de serem agradecidos pelo que têm, as pessoas ignoram o sábio adágio que diz, "a comparação é o ladrão da alegria" e a inveja engole-os. Com a inveja a alegria é esvaziada como um balão.

Mas, algumas vezes, ciúme, que é bastante diferente de inveja, pode resultar em bondade e alegria. Deixem-me explicar o que isso significa:

Quando os Dez Mandamentos descritos em Êxodo 20 foram entregues, Deus avisa que Ele é ciumento e que não tolera rivais. Ele quer um relacionamento de amor comprometido connosco e não está preparado para partilhar afetos com "outro". Ele não tolerará que lhe digamos que estamos numa "relação aberta", termo que se usa hoje em dia – Ele é rigorosamente “monogâmico”.

Quando o povo de Israel, ou qualquer dos seus amados, incluindo eu e tu, gasta demasiado tempo e atenção com “outro”, permitindo o desvio dos nossos corações, ou se damos prioridade a algo ou alguém acima d’Ele, há uma reação 
justa de ciúme.

Ele tem dado tudo por nós e para nós e os nossos corações deveriam pertencer-lhe completamente. Mas louvado seja Deus que este pecado de idolatria também está coberto pelo sangue de Jesus e nós apenas necessitamos de confessar esta falha e arrependermo-nos. Ele, conforme a Sua Palavra promete que sempre nos perdoará e acolhe-nos de volta ao seu regaço.


O ciúme é a reacção imediata relativamente a alguém que nos pertence mas que também é íntimo com outra pessoa; o ciúme é também uma reação errada quando somos tentados a desejar algo que legitimamente pertence a outra pessoa; o ciúme está relacionado com descontentamento e ganância.

Nas Escriturias temos uma ocasiãp onde o ciúme é a reacção correcta, com grandes resultados: "Fez com que eu tivesse severos ciúmes por causa daqueles seus ídolos, os quais não são deuses nenhuns. Por isso agora, em compensação, suscitarei os ciúmes deles, dando os meus afectos às nações gentias do mundo, que eles consideram loucas." Deuteronómio 32:32 (O Livro)

Exatamente desde o princípio, Deus conhece profundamente que o seu povo irá desviar-se. Mas ele tem um plano para os trazer de volta. Ele irá provocar-lhes ciúme.

Paulo reitera esta promessa da Torah em Romanos 10:19 e continua perguntando em 11:11,12: "Porventura tropeçaram de modo que caíssem? De maneira nenhuma, antes pelo seu tropeço veio a salvação aos gentios, para os incitar ao ciúme. Ora se o tropeço deles é a riqueza do mundo, e a sua diminuição a riqueza dos gentios, quanto mais a sua plenitude!”

Sim, foi o plano de Deus que através da sua nova aliança estendesse a possibilidade de relacionamento com todos os povos da terra... e que esta seria também a causa do povo Judeu perceber que estariam a perder algo.

Tenho ouvido muitas vezes que entre o povo Judeu, alguns dizem literalmente estas palavras aos seus amigos gentios: "Eu tenho ciúmes do relacionamento que tens com Deus". Sim este é o direito de todos os filhos de Deus, judeus e gentios, mas apenas através do sangue do Messias é possível remover a barreira do pecado que se nos impede o caminho. Muitos do povo Judeu observam e anseiam por tal relação, interrogando-se como é que “estes gentios” têm tal ligação com o seu Deus.

As boas novas saíram de Sião para os confins da terra! Hoje, o Deus dos judeus é o Deus de todas as nações. Daí, a existência deste zumbido de ciúme… Espere um minuto! Então Ele não é do Deus de Israel? Sim, os Salmos são do Rei Judaico David para o seu Deus – Eles são Judeus! Cântico dos Cânticos é uma história de amor entre Deus e Israel, ou não é? O que é isto? Como é que estes gentios se tornaram aptos para se alegrarem com tal proximidade e amor com o nosso Deus? Como é que eles conseguiram e nós não?

Algumas pessoas pensam que o povo Judeu será consumido por ataques de ciúme por causa dos gentios que seguem as normas da Torah de uma forma notável, mas o ciúme bíblico nunca foi acerca de cumprir as regras e seguir as normas. Não. É um fenómeno de um relacionamento profundo. É guiado apenas pelo amor e pelo conhecimento de que aquele a quem se ama também se regozija com essa intimidade. É visto como um relacionamento vivo com o Pai e que os gentios desfrutam – a paz no seu amor, a rica ligação com dois sentidos de comunicação, que Jesus nos trouxe a todos e provoca ciúme.

Este é o ciúme que provoca muitos Judeus a descobrir mais acerca de Jesus, Aquele através de quem esta ligação é possível.

Este é o ciúme que tem levado muitos Judeus, incluindo o Diretor de One For Israel, a voltar para os braços de Deus Pai. Este é o ciúme que resulta numa alegria infinita, e como resultado, à medida que o povo judeu está a voltar-se de novo para o seu Deus o resto do mundo também conhecerá riquezas inimagináveis.

Traduzido de,
http://oneforisrael.org

Sem comentários:

Enviar um comentário